Últimas Notícias

Queda de empregos na Construção civil reduz 14,8 mil postos de trabalho

A contratação de mão de obra na construção civil caiu 0,14% ao longo de 2014 com corte de 14,8 mil postos de trabalho no período de janeiro a novembro, segundo pesquisa do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), feita em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV). No mesmo período em 2013, foram gerados 141 mil vagas.

Em novembro, na comparação com outubro, houve retração de 1,57% com saldo de 54,9 mil demissões. Em relação a novembro de 2013, o índice ficou negativo em 2,94% e com base de empregados totalizando 3,434 milhões (103,8 mil a menos).

O desempenho não surpreendeu o setor, conforme nota da entidade: “O setor já esperava a queda do emprego em novembro, mês em que tradicionalmente o número de demissões é maior que o de contratações na construção civil, em função do término de obras, o que deve ter voltado a acontecer em dezembro”, disse o vice-presidente de Economia do sindicato, Eduardo Zaidan.

As ofertas em novembro diminuíram em todas as regiões. No Sudeste, foram 23.853 postos de trabalhos a menos, com recuo de 1,39%. A taxa mais expressiva foi registrada no Norte com queda de 3,53% e a eliminação de 8.212 postos de trabalho. No Nordeste, embora a variação tenha sido um pouco mais branda (-1,16%), o número de vagas suprimidas alcançou 8.638. Já no Sul do país, o recuo foi 0,66% com saldo de 3.337 demissões. No Centro-Oeste, queda de 1,57% e corte de 54.964 empregos.

Em São Paulo, o emprego caiu 1,05% sobre outubro com corte de 9 mil postos. No acumulado do ano até novembro, a taxa ficou negativa em 0,42%, que correspondente a perda de 3,9 mil vagas. Na comparação com novembro de 2013, o emprego diminuiu 2,73%, com base de trabalhadores passando de 871,9 mil para 857,2 mil.

Das dez regiões pesquisadas foi constatada alta apenas em Santo André (0,47%) com a geração de 206 vagas. Na capital, a taxa indicou recuo de 1,08% (4.372 vagas a menos); em Campinas (-1,38% e 1.241 cortes); Ribeirão Preto (-1,07% e 589 demissões); Santos (-0,34% e 106 demissões); Sorocaba (-1% e 895 demissões); São José dos Campos (-0,42 e 311 demissões); Bauru (-1,59 e 378 demissões); São José do Rio Preto (-2,03 e 643 demissões) e em Presidente Prudente (-5,56 e 683 demissões).

Fonte: Agência Brasil

Veja também!

Itaipava emprego Alagoinhas

Dono da Itaipava divulga nota de esclarecimento sobre novas contratações

Grupo Petrópolis, dono da Itaipava, que possui uma unidade em Alagoinhas, divulgou nota esclarecendo forma de seleção para preenchimento de vagas de emprego.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *