Últimas Notícias
Produção industrial baiana cai 6,8% em maio de 2014, no acumulado do ano o recuo é de 2,8%.

Produção industrial baiana cai 6,8% em maio de 2014

A produção industrial baiana apresentou, em maio de 2014, na comparação com abril do mesmo ano, decréscimo de 6,8%. A retração foi resultado da menor fabricação de alguns derivados de petróleo – como óleo diesel, óleo combustível e gasolina –, de veículos, além de outros segmentos como metalurgia e produtos químicos. Segundo informações da Pesquisa Industrial Mensal (PIM/IBGE), houve redução no ritmo da produção em sete dos 14 locais pesquisados entre abril e maio, sendo que no conjunto do país a queda foi de 0,6%. Exportações em queda e redução da demanda interna são algumas das explicações para a redução da produção industrial.

Na Bahia, em relação a maio de 2013, o recuo foi de 6,6%. Já o indicador no período de janeiro a maio de 2014 acumulou -2,8%, enquanto o indicador em 12 meses acumulou expansão de 1,7%. Na comparação entre maio deste ano com maio de 2013, o decréscimo de 6,6% teve contribuição das quedas em sete das doze atividades pesquisadas. O resultado negativo no indicador foi atribuído aos segmentos de Derivados do petróleo (-12,3%), Veículos (-15,7%), Metalurgia (-5,9%), Produtos químicos (-2,4%), Equipamentos de informática (-8,0%), Couros, artigos de viagem e calçados (-5,3%) e Celulose (-2,4%). A principal contribuição positiva ficou com a Extrativa (7,6%). Outros segmentos que registraram aumento foram Borracha e material plástico (3,8%), Produtos alimentícios (0,6%), Bebidas (2,1%) e Minerais não metálicos (0,3%).

No acumulado do ano de 2014, de janeiro a maio, comparado com o mesmo período do ano anterior, a taxa da produção industrial baiana registrou decréscimo de 2,8%, sendo que oito dos doze segmentos da Indústria geral influenciaram o resultado no período, com destaque para Veículos que registrou queda de 25,5%. Importante ressaltar também os resultados negativos assinalados por Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-36,4%), Metalurgia (-4,1%) e Couros, artigos para viagem e calçados (-10,0%). Positivamente, destacaram-se Coque, produtos do petróleo e biocombustíveis (3,9%) e Outros produtos químicos (6,2%).

No acumulado em 12 meses, comparado com o mesmo período do ano anterior, a taxa da produção industrial baiana assinalou crescimento de 1,7%. Dos doze segmentos da Indústria seis apresentaram acréscimo no período, com destaque para Coque, produtos do petróleo e biocombustíveis (8,4%), Metalurgia (11,5%), Minerais não-metálicos (1,9%), Outros produtos químicos (0,1%) e Produtos alimentícios (0,2%). Por outro lado, as influências negativas vieram de Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-24,1%), Veículos (-6,0%), Couro, artigos de viagem e calçados (-10,7%), Bebidas (-7,0%) e Borracha e plástico (-0,8%).

Veja também!

Itaipava emprego Alagoinhas

Dono da Itaipava divulga nota de esclarecimento sobre novas contratações

Grupo Petrópolis, dono da Itaipava, que possui uma unidade em Alagoinhas, divulgou nota esclarecendo forma de seleção para preenchimento de vagas de emprego.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *