Últimas Notícias
acessibilidade+copa2.jpeg

Mais de 400 municípios podem perder recursos do Turismo. 22 na Bahia

Os municípios que receberam recursos do MTur em 2011 e estão com o contrato suspenso terão até 28 de junho para regularizar o processo. Após o fim do prazo, os empenhos serão cancelados.

De acordo com análise do MTur, são 454 projetos com problemas em mais de 400 municípios. As obras estão paralisadas ou não foram iniciadas devido a pendências com a Caixa Econômica Federal, como falta de licenciamento ambiental e comprovação de titularidade da terra.

“A orientação é que os responsáveis pelos projetos nos municípios procurem imediatamente a Caixa para regularizar a situação”, explica o secretário nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, Fábio Mota. “É uma situação ruim para todos. Perde a sociedade, o estado e o país que deixa de promover inclusão social, gerar emprego e renda. Por isso entramos em contato com os responsáveis para eles sanarem os problemas”, completou.

O Ministério do Turismo tem notificado desde janeiro todos os estados e prefeituras com obras com cláusulas suspensivas. Em janeiro, mais de mil contratos apresentavam problemas. Após ação do MTur, cerca de 60% deles foram regularizados.

Na Bahia são 22 cidades que podem perder os recursos: Alagoinhas, Cachoeira, Caém, Camaçari, Camamu, Candiba, Coronel João Sá, Irajuba, Itiruçu, Iuiú, Lençóis, Maraú, Mata de São João, Muritiba, Nordestina, Palmeiras, Pindaí, Porto Seguro, Salvador, Sapeaçu, Sebastião Laranjeiras e Wenceslau Guimarães.  Dentre os projeto de Salvador que podem perder recursos estão o da requalificação turística da orla e o de acessibilidade para a copa 2014.

Clique aqui para saber se o seu município tem alguma obra com cláusula suspensiva.

Veja também!

Itaipava emprego Alagoinhas

Dono da Itaipava divulga nota de esclarecimento sobre novas contratações

Grupo Petrópolis, dono da Itaipava, que possui uma unidade em Alagoinhas, divulgou nota esclarecendo forma de seleção para preenchimento de vagas de emprego.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *