Últimas Notícias

Crédito para financiamento de veículos recua em fevereiro, aponta ANEF

O segundo mês de 2013 apresentou nova queda no saldo de crédito para financiamento de veículos. A expectativa da ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras) é de que o mais recente anúncio da prorrogação do IPI reduzido na atual taxa, até o final de 2013, dê maior fôlego ao mercado e reaqueça não só as vendas de veículos, mas também o setor de financiamentos.

Este otimismo indicado pelos números da ANEF se explica em parte pelo crescimento discreto nas vendas de veículos durante o primeiro trimestre deste ano e, também, pela adoção destas medidas logo no início do ano. “Assim, será possível que o saldo de financiamentos apresente uma reação mais rápida em 2013”, avalia Décio Carbonari, presidente da ANEF. Além desses fatores, há também a necessidade inadiável de que obras de infraestrutura movimentem o setor de veículos comerciais. “As concessões de portos e aeroportos, além da proximidade de grandes eventos, geram uma necessidade emergencial por caminhões, ônibus e carros para frotas”, completa o executivo.

A queda registrada de janeiro para fevereiro foi de 0,9 % no saldo das carteiras de financiamento para a aquisição de veículos, passando de R$ 240,6 bilhões em janeiro (CDC e Leasing para pessoas física e jurídica) para R$ 238,4 bilhões em fevereiro de 2013. Na comparação com o mesmo período de 2012 (saldo de 245,3 bilhões) a redução foi de 2,8%.

Durante os dois primeiros meses, a liberação de recursos para financiamento foi de R$ 16.804 milhões, sendo R$ 16,374 milhões por CDC e R$ 430 milhões designados ao leasing. Dos recursos liberados por CDC, R$ 13,712 milhões foram para Pessoa Física e R$ 2,662 milhões para Pessoa Jurídica.

Durante fevereiro as taxas médias de juros praticadas pelos associados da ANEF seguiram estáveis, mantidas desde dezembro de 2012 em 1,25% a.m. e 16,08% a.a. Enquanto isto, a ponderação média das taxas praticadas pelo mercado (bancos de varejo) no financiamento de veículos seguiu em 1,57% a.m. e 20,5% a.a, no CDC para pessoa física e 1,21% a.m. e 15,5% a.a., no CDC para pessoa jurídica. A taxa Selic também se mostrou estável, ficando em 0,58% a.m e 7,25% a.a.

“As taxas de juros das associadas da ANEF costumam ser menores por ser em grande parte subsidiadas pelas próprias montadoras, atingindo melhores condições e valores mais competitivos, inclusive com a possibilidade, em algumas situações, de oferecer a opção da taxa zero”, explica o presidente da associação, Décio Carbonari.

Planos e prazos de pagamento
Os planos máximos disponibilizados pelos bancos aos consumidores seguiram em 60 meses, durante os primeiros dois meses deste ano, no entanto, o prazo médio das concessões foi de 43 meses. No mesmo período de 2012, este prazo médio era de 46 meses. Se comparado ao primeiro mês do ano, o prazo médio não apresentou oscilação.

Inadimplência
A falta de pagamento de contratos de financiamento (CDC) acima de 90 dias, no caso de Pessoa Física, manteve-se estável em fevereiro, ficando em 6,4% nos contratos de CDC para Pessoa Física. Na comparação com fevereiro de 2012 (6,6%), a inadimplência deste público apresentou queda de 0,2 pontos percentuais.

Veja também!

Itaipava emprego Alagoinhas

Dono da Itaipava divulga nota de esclarecimento sobre novas contratações

Grupo Petrópolis, dono da Itaipava, que possui uma unidade em Alagoinhas, divulgou nota esclarecendo forma de seleção para preenchimento de vagas de emprego.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *