Últimas Notícias

Minha Casa Minha Vida em Salvador vai entregar mais de mil unidades habitacionais até dezembro

Uma nova vida. É esse o sentimento de 3,6 mil famílias beneficiadas com uma nova moradia do Minha Casa, Minha Vida em Salvador. O programa, desenvolvido pelo Governo Federal em parceria com a Prefeitura e o Governo do Estado, tem ajudado a mudar a realidade de famílias de baixa renda, ex-moradores de rua e pessoas que residiam em ocupações irregulares ou em situação de risco na cidade. Até o final deste ano, conforme a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, Habitação e Meio Ambiente (Sedham), mais de mil unidades ainda deverão ser entregues.

São histórias como a da ambulante Jailda Barreto, 54 anos, que há um ano viu a vida de sua família se transformar. Ex-integrante de um movimento sem-teto, ocupante de uma antiga sede do Conselho Tutelar – nos Dois Leões, ela é hoje moradora do Condomínio Bosque das Bromélias III, um dos 10 empreendimentos já entregues por meio do Programa na capital baiana.

“Foi uma luta muito grande para chegar até aqui. Morei oito anos em uma ocupação e hoje, quando entro em minha casa, não tenho nem palavras para descrever toda a felicidade que sinto”, recordou Jailda. Com história semelhante à de Jailda, a também ambulante Arlene Nascimento Silva, 42, descreve a mudança de uma forma muito simples. “Foi como sair do inferno para entrar no céu. Algo que ainda demoro um pouco para acreditar. É outro mundo, uma nova realidade”, resume a moradora do Condomínio Bosque das Bromélias IV.

Os condomínios onde moram as duas vendedoras ambulantes, assim como os outros empreendimentos do Minha Casa, Minha Vida, contam com uma estrutura planejada, com quadra esportiva, quiosque para evento e parque recreativo. “Tudo aqui é muito diferente do que já vivi. Todo dia, depois da batalha do trabalho, agradeço muito a Deus por saber que tenho um local para retornar, tomar um banho e dormir tranquila”, completa Arlene.

Cadastro

Atualmente, Salvador conta com mais de 100 mil famílias cadastradas no programa. Todas, conforme a Sedham, passam por uma análise, já que devem obedecer a critérios pré-determinados para recebimento do imóvel. “Esse estudo é fundamental para que possamos, de fato, beneficiar aqueles que realmente precisam. Além disso, a nossa prioridade tem sido as famílias integrantes de movimentos sem-teto e pessoas desabrigadas, cadastradas pela Defesa Civil (Codesal)”, informou o assessor especial de habitação do órgão, Geraldo Almeida.

Para desabrigados e moradores de área de risco, a Prefeitura pode utilizar até 50% do total de imóveis a serem entregues. “Este percentual está sendo rigorosamente utilizado por nós, pois entendemos que essas pessoas merecem tal prioridade. Hoje, já conseguimos extinguir 17 acampamentos sem-teto em Salvador, sendo essas pessoas beneficiadas pelo programa”, salientou.

Almeida lembrou, no entanto, que são seis os movimentos sem-teto reconhecidos em Salvador. “Apenas os pertencentes a esses movimentos serão beneficiados pelo programa. Isso porque novas ocupações têm surgido na cidade por movimentos que querem apenas se aproveitar do benefício. Esta situação vem sendo investigada e estamos contando com o apoio dos movimentos cadastrados, todos com assento no Conselho Gestor do Fundo Municipal de Habitação”, completou.

Critérios

Para fazer parte do programa, os inscritos ainda precisam ter renda compreendida entre 0 (zero) e R$ 1.600. As primeiras inscrições aconteceram no ano de 2009, alcançando um número de quase 30 mil inscritos. Em 2012, as inscrições foram encerradas, no mês de junho, com número recorde: 79.678 cadastros.

Além daquelas vinculadas aos movimentos de luta pelo direito à moradia, o programa é destinado às famílias chefiadas por mulheres ou que tenham pessoas com deficiência, moradores de áreas de risco geológico ou insalubres, famílias que vivem em ocupação ou situação de conflito fundiário há mais de dois anos e em aluguel social ou situação de remanejamento.

Na capital baiana, já foram entregues os empreendimentos Recanto das Margaridas (380 unidades), Residencial Morada do Atlântico (284 unidades), Residencial Sítio Izabel (348 unidades), Residencial Assis Valente (380 unidades), Bosque das Bromélias II (300 unidades), Bosque das Bromélias III (380 unidades), Bosque das Bromélias IV (500 unidades), Bosque das Bromélias V (500 unidades), Residencial Jardim Cajazeiras (200 unidades) e Residencial Pirajá (340 unidades). Está prevista ainda para este ano a entrega dos empreendimentos Quinta da Glória, etapas 2 e 3 (820 unidades) e Maria de Lourdes, com 276 unidades.

Veja também!

Itaipava emprego Alagoinhas

Dono da Itaipava divulga nota de esclarecimento sobre novas contratações

Grupo Petrópolis, dono da Itaipava, que possui uma unidade em Alagoinhas, divulgou nota esclarecendo forma de seleção para preenchimento de vagas de emprego.

Um comentário

  1. roberio da silva melo

    eu estou participando do progama minha casa minha vida .
    mais perde a senho e o email que cadastre não existe mais
    pesso que porfavor mi de instruções para esse novo email
    berinhomelo@gmail.com muito obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *